O que publicar nas redes sociais para os melhores resultados (dicas para qualquer negócio)

Não sabes o que é que o um negócio deve publicar nas redes sociais para conquistar credibilidade junto dos clientes? Estás num bloqueio criativo e achas que não tens imaginação para produzir conteúdo diário? Não te preocupes. Neste artigo vai aprender como criar conteúdo para as redes sociais, seja qual for o teu negócio, projeto ou marca e vai precisar de pouca, ou nenhuma, imaginação.

1. Oferece valor

Conheces o teu negócio (ou o do teu cliente):  sabes que produtos ou serviços produz e como os produz. Mas o conhecimento acerca de qualquer negócio não está completo se nunca foi respondida esta pergunta: que necessidade(s) é que o negócio resolve e a quem é que resolve essas necessidades?

A resposta a esta pergunta vai permitir-te descobrir quem é o teu público-alvo e o que ele necessita de ti – o que tornará muito mais fácil saberes o que produzir para lhe agradar. O  conteúdo deverá sempre ser produzido para as pessoas que precisam do teu negócio e deverá sempre responder a uma necessidade dessas pessoas. 

Tudo fica mais claro com um exemplo. Eu trabalho (e estudo) na área da comunicação e do marketing. O meu projeto com este blog resolve a necessidade de outros profissionais e estudantes que precisam de aprender sobre marketing para melhorarem o seu negócio/projeto/marca. Com isto em mente, o conteúdo que eu posso produzir é infinito: de artigos sobre SEO, a guias de como usar o gestor de negócios do facebook, a vídeos explicando como criar um website do 0. Faz este exercício e sairás com uma lista enorme de conteúdo que podes publicar nas redes sociais para ajudar o teu público. 

Esta dica serve para te lembrar que a maioria do conteúdo que é publicado nas redes sociais não deve ser conteúdo comercial. Tratam-se de redes sociais e não de redes comerciais, por isso o segredo está em oferecer conteúdo útil às pessoas, construindo relações (que podem levar indiretamente à venda). 

 

2. Não adivinhes. Usa dados.

Agora que sabes a que necessidades o teu negócio responde e a quem é que o teu negócio resolve essas necessidades, não precisas de ficar a tentar adivinhar o que é que o teu público mais pesquisa. Em marketing, todas as nossas decisões devem ser tomadas com base em dados e não em adivinhas – e ainda bem, se não esgotavamos a nossa imaginação.

Existem vários sites onde é possível fazer análise de tendências. Alguns dos meus favoritos são o https://answerthepublic.com/ e o https://trends.google.pt/trends. Ao saber o que é mais pesquisado, só tens de produzir conteúdo de acordo com isso e (sempre) de acordo com as características do teu negócio/projeto/marca. 

3. Faz reciclagem de conteúdo.

Não tens (nem deves) estar constantemente a produzir conteúdo. Seria um desperdício de tempo e tempo é dinheiro.  Ao invés, deves apostar numa estratégia de macro e micro conteúdo. O conteúdo macro é aquele conteúdo longo: pode ser um vídeo de 1 hora, um artigo, um eBook ou uma infografia. Este conteúdo exige tempo de preparação e esse tempo deve ser reaproveitado. É aqui que entra o nosso micro conteúdo:  vamos fatear esse artigo, esse vídeo ou esse eBook em pequenas parcelas de conteúdo fáceis de consumir e distribuí-las pelos nossos canais de comunicação. Vamos dizer que tu ou alguém da tua empresa foi dar formação uma tarde. Ao invés de fazer dessa formação um one time event, podes gravá-la, editá-la e assim conseguir conteúdo para publicar nos próximos dias.

As pessoas não vão achar que estás a repetir conteúdo se  o distribuíres bem pelos vários canais sociais. Tomemos novamente o exemplo da formação: podes colocar a gravação completa no YouTube, pôr um excerto de 15 minutos no IGTV, escrever 5 ideias-chave da formação no LinkedIn e colocar o artigo completo sobre a formação no blog. É tudo uma questão de distribuição, alterando o formato.

4. Mostra pessoas para conquistar a confiança de pessoas

Existe uma frase conhecida que diz que se não percebermos de pessoas, nem de vendas percebemos. Pode ser tentador escondermos-nos a nós ou à nossa equipa atrás de uma marca, mas se formos demasiado impessoais, as pessoas não vão sentir empatia e não vão atribuir credibilidade. 

A melhor forma de conquistar empatia e credibilidade para qualquer negócio é mostrar as pessoas por trás dele. Mostrar a equipa a trabalhar em escritório, mostrar as pessoas que produzem o produto que aparece nas lojas ou as pessoas que podem falar à audiência daquele que é o propósito por trás da marca. Esta estratégia de incluir a  equipa na comunicação externa tem duas vantagens: uma, de employer branding, ao permitir atrair futuros colaboradores e integrar os existentes; outra, de conquistar empatia e credibilidade de potenciais clientes. 

A estratégia de mostrar as pessoas pode estender-se além dos colaboradores, para os clientes satisfeitos. Se for possível adquiri testemunhos, quer sejam escritos ou em vídeo, de consumidores, isso é um dos melhores argumentos de venda que podem ser usados na comunicação como prova social. Em Neuromarketing, a estratégia da prova social consiste em mostrar ao potencial consumidor pessoas a usarem o  produto ou serviço. Ainda melhor se essas pessoas forem conhecidas do público e estiverem associadas a certas qualidades ou estatutos sociais. 

Partilha, se aprendes-te alguma coisa nova com este artigo:

© COPYRIGHT 2020. ELIANA OLIVEIRA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.